Extrato vegetal: Qual o seu diferencial?

         O extrato vegetal é um líquido que pode ser derivado de diferentes grupos alimentares, como oleaginosas, cereais, leguminosas, raízes, entre outros, de cor esbranquiçada com semelhanças visuais ao leite animal.
         Devido a essas semelhanças, o extrato vegetal popularizou-se como “leite vegetal”, substituindo o leite animal no seu consumo puro (entre os alérgicos à proteína do leite, intolerantes à lactose e até mesmo entre os que não querem ingerir leite) e nas preparações alimentares doces e salgadas. Contudo, não considera-se correto o termo “leite” para preparações vegetais, em vista que, o leite, por definição, é considerado o líquido de coloração esbranquiçada e opaca, oriundo da ordenha completa e ininterrupta em condições de higiene, de fêmeas leiteiras sadias, bem alimentada e descansadas.
          Dessa forma, a
pesar da não substituição em equivalência nutricional do leite animal, as mudanças dos consumidores por diferentes fontes alimentares visando a saudabilidade, naturalidade, e benefícios funcionais na alimentação vêm promovendo um crescente interesse das indústrias globais de alimentos e bebidas. Estima-se que as as vendas do leite de amêndoa serão iguais às do leite sem lactose em 2020, se for mantido o crescimento atual (9,3% de crescimento do leite de amêndoas no segmento de leites vegetais).
          Sendo assim, e
ssa tendência dos extratos vegetais tem sido um diferencial para as indústrias pois além dos benefícios nutricionais, se apresentam como excelentes alternativas para agregar valor aos produtos das mais diferentes categorias e trazer novas oportunidades de negócios. Os processos para obtenção dos extratos hidrossolúveis vegetais são relativamente simples, mas exigem atenção para análises microbiológicas, averiguação da aceitabilidade dos consumidores, estudos bibliográficos e até mesmo adequação da rotulagem à legislação.
       
Você quer ter um diferencial e não sabe muito bem por onde começar? Entre em contato conosco, a Caltech pode ajudar você.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referências:

DUAS RODAS. Conheça os principais processos de fabricação de extratos vegetais para a indústria alimentícia. Disponível em: <https://www.duasrodas.com/blog/qualidade/conheca-os-principais-processos-de-fabricacao-de-extratos-vegetais-para-a-industria-alimenticia/>. Acesso em: 17 set. 2019.
MAPA. Instrução Normativa nº 51, de 18 de setembro de 2002. Aprovar os Regulamentos Técnicos de Produção, Identidade e Qualidade do Leite tipo A, do Leite tipo B, do Leite tipo C, do Leite Pasteurizado e do Leite Cru Refrigerado e o Regulamento Técnico da Coleta de Leite Cru Refrigerado e seu Transporte a Granel.
RICCI, R.; MAXIMINO, P.; SETÚBAL, J. L. Extrato vegetal é leite? Como deve ser consumido? Disponível em: <https://institutopensi.org.br/blog-saude-infantil/extrato-vegetal-e-leite-como-deve-ser-consumido/>. Acesso em: 17 set. 2019.
SELECTUS. EUA – O que as indústrias de leite vegetal não querem divulgar. Disponível em: <http://www.terraviva.com.br/site/index.php?option=com_k2&view=item&id=18340>. Acesso em: 17 set. 2019.