Processo de desidratação: tudo o que você precisa saber

          A desidratação de alimentos vem sido utilizada a anos, desde a antiguidade. Era, e ainda é, utilizada como método de conservar e garantir a segurança alimentar, mas hoje com a tecnologia industrial possui outras vantagens!!
          O processo de desidratação é muito simples e pode ocorrer tanto por via mecânica, com o uso de centrífugas, quanto por via térmica onde com a manutenção do alimento a uma temperatura e umidade específicas podemos reduzir a sua umidade e, portanto, sua atividade de água. Essa atividade de água é o meio reacional de reações químicas e enzimáticas além de responsável da proliferação de microrganismos.
          Desse modo, com a presença da água em alimentos, esse se torna propício para ocorrência de reações químicas e microbiológicas, gerando redução da qualidade do produto e de sua vida de prateleira. Outro ponto para se estudar a atividade de água do alimento, é para o estudo de embalagem e com isso escolha da melhor opção.
          Quem nunca abriu uma bolacha crocante, e após alguns dias observou que ela perdeu sua textura? Isso ocorre, pois, a atividade de água e a umidade do ambiente tendem a se igualar e a embalagem evita que isso ocorra. Fundamental, certo? Além disso, a remoção de água ainda facilita o transporte, armazenamento e manuseio do produto final, seja ele para consumo na forma direta, ou como ingrediente na elaboração de outros produtos alimentícios.
          Portanto, é fundamental entende e conhecer nosso alimento, em especial quando ele está desidratado, a fim de garantir um alimento seguro e saboroso. Quer entender mais das características químicas do seu produto, processamento e embalagem ideal para ele? A Caltech pode te ajudar nisso.

 

 

 

 

 

 

Referências:

https://revista-fi.com.br/upload_arquivos/201607/2016070041261001469734800.pdf

https://aditivosingredientes.com.br/upload_arquivos/201604/2016040226813001460729362.pdf