Chás e infusões

          Estima-se que a prática de ingerir bebidas feitas a partir da infusão de partes de plantas com água quente originou-se na China, por volta de 2300 a.C., com o preparo da bebida à partir planta do chá (Camellia sinensis). Com o passar dos séculos, a bebida passou a ser servida de forma ritualística em situações sociais em seu país de origem, e é documentado que por volta de 1560 a bebida chegou à Europa através dos navegadores portugueses em uma de suas viagens ao Oriente para comércio de especiarias. Hoje no Brasil conhece-se por “chá” toda infusão de folhas, frutos, caules, raízes, e até mesmo cascas, sem necessariamente incluir partes da Camellia sinensis em sua composição.
          A Camellia sinensis é a planta cujas folhas originam três tipos de chás famosos, que compõe outras receitas, e que se distinguem pela forma de processamento: o chá verde, preto e o branco. O chá verde possui como processamento apenas a aplicação de calor em sua folhas, usualmente o vapor mas também possível via torrefação, para desativar enzimas oxidativas logo após sua colheita, conservando assim sua cor verde e o frescor de seu aroma. O chá preto utiliza estas enzimas oxidativas à seu favor, tendo sua cor preta gerada graças à oxidação dos compostos orgânicos conhecidos como teaflavinas, disponíveis em maior quantidade para reagir após a trituração de sua folha no início do processo. Por sua vez, o chá branco é feito à partir das folhas jovens da planta, que não sofreram efeitos de oxidação, e passa por processo com calor (tradicionalmente secas ao sol), possuindo um sabor mais leve que os demais.
          Para outras plantas além da tradicional do chá, são obtidas infusões (porém o termo não se limita a bebidas preparadas com água quente, englobando também óleos essenciais, cafés, entre outros dependendo de seu solvente utilizado). Alguns exemplos famosos são as infusões de camomila, maçã e outros, assim como exemplos regionais, como o chimarrão no Sul do Brasil, feito com erva mate. O processamento comum também é a aplicação de calor no produto colhido.
          Embora no Brasil ainda haja pouca adesão à bebida, provavelmente graças à forte cultura do café herdada do século XIX, o mercado para chás e infusões está em crescimento a nível global, desde sua forma tradicional até formas mais sofisticadas, e é considerada uma das bebidas não alcoólicas mais consumidas no mundo. No Brasil, pode-se observar que sua popularidade está crescendo, e diversas “casas de chá” vêm surgindo nos últimos anos, geralmente localizadas em shoppings, e são lojas que vendem desde o chá original até receitas próprias com outras flores e frutos, chamados de blends. Em números, é estimado segundo a FAO que sua produção em 2027 deva chegar a 3,6 milhões de toneladas no mundo para o chá verde e 4,4 milhões de toneladas para o chá preto, assim como um aumento do consumo pela população mais jovem, disposta a pagar mais caro por produtos de melhor qualidade.
          Se você deseja melhorar seu produto ou até mesmo desenvolver um produto novo para este mercado, fale conosco. A Caltech pode te ajudar!

 

 

Fontes:
http://www.scielo.br/pdf/cr/v39n4/a132cr546.pdf
https://sites.google.com/site/chasdetodoomundo/processamento-do-cha
https://revistagloborural.globo.com/Noticias/Agricultura/noticia/2018/05/fao-preve-aumento-da-producao-e-consumo-de-cha-no-mundo.html
https://casadocha.com/artigos/historia-cha